BLOG

3 razões para trabalhar com tradutores nativos

Subscreva a minha newsletter mensal para receber as últimas notícias!

É provável que já se tenha deparado com a necessidade de contratar serviços de tradução. Ou, talvez, devido à pandemia da COVID-19, esteja a pensar em digitalizar o seu negócio e traduzir o seu conteúdo para chegar a novos mercados. E é muito provável também que não soubesse nem por onde devia começar a procurar nem que aspetos deve ter em conta no momento de contratar um tradutor.

Se optou por arriscar e finalmente decidiu procurar o profissional que irá tratar da tradução dos seus conteúdos, deve ter vários fatores em conta. Porém, há um que, na minha opinião, é fundamental para que o conteúdo da nossa empresa seja de qualidade: que o profissional com quem vamos trabalhar seja nativo da língua para a qual vai traduzir, ou seja, que traduza para a sua língua materna.

Portanto, como ontem 21 de fevereiro, se comemorou o Dia Internacional da Língua Materna, selecionei três razões que, na minha opinião, justificam a escolha de um tradutor nativo numa estratégia de comunicação multilingue.

Vejamos quais são:

1. Os tradutores nativos geram textos de qualidade

De uma forma simples, um tradutor nativo poderia ser definido como alguém que traduz desde uma ou várias línguas estrangeiras (ou línguas de trabalho) para a língua que utiliza para se comunicar logo desde os seus primeiros anos de vida.

Contudo, ser falante nativo de uma língua e ter conhecimentos de línguas estrangeiras não fazem com que, automaticamente, qualquer um seja tradutor. A profissão de tradutor é qualificada, tal como outras profissões liberais e, para poder exercê-la, são precisas outras ferramentas, tais como:

  • Técnicas de escrita
  • Conhecimentos de gramática, sintaxe e ortografia, tanto da língua nativa como da língua de trabalho
  • Domínio de terminologia específica de diferentes âmbitos e disciplinas

É graças a estas aptidões que o tradutor pode compreender o texto original e gerar um texto novo, correto e de qualidade, na sua língua nativa.

Portanto, os tradutores profissionais nativos perfilam-se como grandes aliados ao internacionalizar uma empresa, pois, graças aos seus conhecimentos e competências, geram textos claros, precisos e de fácil compreensão para os potenciais clientes.

2. Os tradutores nativos também são assessores culturais

Como vimos no ponto anterior, as competências linguísticas têm uma grande relevância para o tradutor. No entanto, a componente linguística não é a única que importa para conseguir traduções de qualidade.

Um tradutor profissional também possui um vasto conhecimento da cultura da língua nativa, assim como da cultura da língua de trabalho, isto é, da cultura do público-alvo dessa tradução.

Trabalhar com um profissional que conhece as diferenças culturais entre o país da língua original e o país da língua da tradução pode ser uma grande ajuda e até pode poupar algumas dores de cabeça. Por exemplo, o tradutor pode alertar uma empresa caso o seu nome ou o de algum dos seus produtos seja ofensivo na cultura de destino, ou até que a cor corporativa não transmita a mesma mensagem na cultura de destino que na de origem.

3. Os tradutores nativos contribuem para melhorar a imagem do seu negócio

Hoje em dia, é impossível pensar em internacionalização sem pensar em presença digital. E quando falamos em presença digital, não há dúvida de que os textos de qualidade e a sua adaptação à cultura de destino são elementos que contribuem para melhorar a imagem de qualquer empresa, além da sua visibilidade.

Atualmente, para dar maior ou menor visibilidade ao perfil de uma marca ou empresa, os algoritmos das redes sociais têm em conta o engagement, isto é, a interação dos utilizadores com a marca. Esse engagement é medido com a quantidade de likes de uma publicação, de comentários, quantas vezes foi partilhada, os seguidores do perfil, etc.

O conteúdo de qualidade é fundamental para conseguir atingir um bom nível de engagement. Porém, ainda são muitas as empresas que se limitam a publicar o seu conteúdo numa só língua, nomeadamente inglês, pois acham que desta forma podem atingir um público mais amplo. Errado!

As empresas que optam por estratégias monolingues estão a esquecer-se de que 90% dos consumidores europeus preferem comprar na sua língua nativa. Não se esqueça de que as redes sociais e o marketing de conteúdos são ferramentas de aproximação a potenciais clientes. Tem a certeza de que quer perder a oportunidade de aumentar as suas vendas por não falar a língua do seu cliente?

Uma estratégia de conteúdo digital multilingue é uma das melhores decisões que uma empresa pode tomar nos dias de hoje se quiser crescer e alcançar novos mercados. Por isso, ao apostar em traduções de qualidade para esse conteúdo, as possibilidades de interação com clientes de outros países irão aumentar.

Por que motivo é importante internacionalizar sem perder de vista a diversidade linguística e cultural?

Apesar de o inglês estar presente em muitas áreas, não podemos ignorar o facto de que a sociedade mundial atual é plurilingue e multicultural. Por isso, uma estratégia de comunicação multilingue pode ser a nossa melhor aliada se, ao internacionalizar o nosso negócio, queremos:

  • Ganhar a confiança do cliente;
  • Não perder tráfego nem vendas porque o cliente não percebe o que estamos a vender;
  • Diferenciar-nos da concorrência;
  • Melhorar o nosso engagement;
  • Melhorar o posicionamento SEO e as taxas de conversão.

TAMBÉM PODE SER DO SEU INTERESSE…

5 ferramentas que o teatro me deu para gerir o meu negócio

5 ferramentas que o teatro me deu para gerir o meu negócio

O teatro e as artes cénicas estiveram presentes na minha vida desde muito novinha. A minha mãe gostava (e ainda gosta) de cinema, teatro, ballet, de ver musicais… Bem, qualquer oportunidade era boa para passar a tarde de sábado num teatro de Madrid ou de Alcalá de...

Teletrabalho

Teletrabalho

Há uns dias li uma notícia sobre o nível de satisfação da população espanhola relativamente ao teletrabalho. Segundo um inquérito realizado pelo CIS em dezembro de 2020, 80 % das pessoas inquiridas qualificou a sua experiência como muito satisfatória, enquanto os...